08/08/18 | 11:59
Agosto Dourado tem ações de sensibilização na Maternidade Moura Tapajóz

A Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), da Prefeitura de Manaus, está realizando uma intensificação das ações de sensibilização sobre amamentação com gestantes, puérperas, acompanhantes e profissionais de Saúde. A ação faz parte da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) e o período da Campanha Agosto Dourado.

“Aleitamento materno: a base da vida” é o tema deste ano da SMAM, definido pela Aliança Mundial para Ação em Amamentação (WABA, na sigla em inglês). A iniciativa objetiva motivar globalmente ações para promover a amamentação como parte das estratégias de nutrição, segurança alimentar e redução das desigualdades. A SMAM e o Agosto Dourado são eventos que integram o calendário oficial do município de Manaus e estratégias para a intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

“Queremos que a população tenha consciência de que a amamentação está diretamente ligada à segurança alimentar e à redução da pobreza. Vários estudos já comprovaram que um bebê amamentado exclusivamente até os seis meses tem maiores possibilidades de se tornar um adulto com melhor qualidade de vida e maior nível de escolaridade”, avaliou o secretário Municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

A programação na Moura Tapajóz começou já no dia 1° de agosto com atividades de sensibilização e orientação sobre aleitamento materno com gestantes que realizam visita de vinculação à maternidade.

A enfermeira Valéria Almeida, articuladora do Projeto “Apice On” na Moura Tapajóz e responsável pelas visitas, explica que a vinculação da gestante ao seu local de parto por intermédio da UBS onde realiza o pré-natal auxilia na redução da mortalidade materna e infantil, encorajando a aproximação das gestantes à unidade de referência e promovendo uma melhor assistência ao parto.

“Já podemos trabalhar a questão da importância do aleitamento materno desde as primeiras visitas da gestante à maternidade. E essa conscientização precoce pode ser decisiva para o sucesso da amamentação e, consequentemente, para redução da mortalidade materna e infantil”, acrescentou Valéria Almeida.

A sensibilização durante as visitas de vinculação seguirá acontecendo nos dias 15, 22 e 29/08, sempre às 15h.

Outras atividades

Nos dias 9 e 10/8, a programação será voltada a profissionais de nível superior, que participarão de curso com carga horária de 20h da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) para formação de multiplicadores sobre Aleitamento Materno com o objetivo de munir a equipe hospitalar com os conhecimentos e as habilidades necessárias para promover e capacitar novos servidores sobre os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno. Posteriormente, nos dias 13, 20 e 27/8, será realizada uma ação de sensibilização aberta a todos os servidores da maternidade e que será ministrada pelos multiplicadores formados na semana anterior pela IHAC.

Nas manhãs dos dias 15, 22 e 29/8, o Núcleo de Educação Continuada e Permanente da MMT realizará sensibilização com puérperas (mulheres que deram à luz recentemente) e acompanhantes nos alojamentos conjuntos da maternidade. Serão feitas orientações sobre a importância do aleitamento materno tanto para a mãe quanto para o bebê e sobre técnicas para estimular a produção de leite e facilitar a pega.

Aleitamento materno exclusivo

Conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), em todo o mundo apenas 38% das crianças são amamentadas. A meta global a ser atingida até 2025 é de que pelo menos 50% dos lactentes recebam o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida da criança. A OMS também estima que, a cada ano, um milhão e meio de mortes poderiam ser evitadas por meio da prática do aleitamento materno.

Segundo a chefe do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente da Semsa, Ivone Amazonas, crianças em aleitamento materno exclusivo têm, ao menos, 2,5 vezes menos episódios de doenças do que as que tomam substitutos de leite materno.

Além disso, as crianças que não se alimentam, exclusivamente, com o leite materno até os seis meses de vida apresentam risco 25 vezes maior de morrer por diarreia e três vezes maior de morrer por uma infecção respiratória. De acordo com material divulgado pela IBFAN, “É necessário despertar a consciência sobre a importância da amamentação. O leite materno é a base que ancora tudo na vida”, completou Ivone Amazonas.

Texto: Marcella Normando/MMT/Semsa

Fotos: Alex Pazuello/Arquivo Semcom

Disponível em: https://flic.kr/p/MzxfWG