07/08/18 | 8:57
Campanha de vacinação contra a poliomielite é iniciada pela Prefeitura de Manaus

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite foi aberta nesta segunda-feira, 6/8, pela Prefeitura de Manaus, e se estenderá até o dia 31 deste mês, tendo o “Dia D”, de mobilização, no próximo dia 18. A população alvo desta ação são crianças de um ano até quatro anos 11 meses e 29 dias, correspondendo a 138.641 crianças. A meta mínima é vacinar 131.709 crianças, o equivalente a 95% do total a ser imunizado.

A campanha tem como objetivo manter a cobertura vacinal no município elevada. Para isso, a vacina será disponibilizada nas 183 salas de vacinação da rede pública, disponíveis nas quatro zonas da cidade, evitando a reintrodução do vírus selvagem da doença, erradicada desde 1990, na capital.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, é de extrema importância que o público-alvo seja vacinado e para isso, a participação dos pais é vital. “A Semsa alerta a todos os pais ou responsáveis que crianças dentro da faixa etária devem receber a gotinha mesmo estando com situação vacinal completa por se tratar de uma campanha, buscando imunização e prevenção efetiva da doença. A determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto é de que não poupemos esforços para atingir a meta de deixar Manaus livre da paralisia infantil”, disse Magaldi.

Também conhecida como pólio ou paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada pelo poliovírus e transmitida por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca, atingindo crianças e adultos, provocando paralisias musculares, sendo os membros inferiores os mais atingidos.

“O alerta para a população é que procure a sala de vacinação mais próxima da sua casa com a carteirinha de vacinação da criança em mãos para avaliação e registro, pois a única forma de prevenção da doença é por meio da vacina”, afirmou a chefe da divisão de imunização da Semsa, Isabel Hernandes.

A campanha segue a orientação nacional do Ministério da Saúde, porém, diferentemente da maioria das cidades, não vacinará contra o sarampo, uma vez que em Manaus, em razão do surto da doença, a aplicação da tríplice viral foi antecipada ainda no mês de março deste ano.

Texto: Jade Leite / Semsa