09/01/18 | 8:09
Prefeitura prepara atividades na Semana Municipal de Combate à Hanseníase

Em alusão ao Dia Mundial de Combate à Hanseníase, celebrado no último domingo de janeiro, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com o Movimento de Reintegração às pessoas atingidas pela Hanseníase (Morhan), a Fundação Alfredo da Matta (Fuam) e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), realizará um mutirão de atendimento para exames dermatológicos no dia 27/1, das 8h às 12h, na Escola Estadual Gilberto Mestrinho, localizada no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona Leste.

Em 2017, foram diagnosticados 437 casos novos de hanseníase no Amazonas. Em Manaus, os 128 casos já registrados correspondem a 38,4% dos casos novos do Estado e uma redução de 23% em relação a 2016.

Buscando adequar o controle da doença, a Semsa vai intensificar as atividades de busca ativa de casos por meio de exames rigorosos de contatos domiciliares e sociais, além de tratamento adequado dos casos diagnosticados, como explica o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi. “Para realizar essas atividades, dispomos de 226 UBS (Unidades Básicas de Saúde) distribuídas pelas zonas da capital incluindo a rural, terrestre e fluvial, todas capacitadas com profissionais médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, atuando nas ações educativas, acolhimento, suspeição, diagnóstico e tratamento”, assegura Magaldi.

O mutirão dará início às atividades da Semana Municipal de Combate à Hanseníase, que ocorrerão até o dia 2/2. Buscando intensificar ações voltadas para o combate à doença, a Semsa realizará rodas de conversa nas UBSs, palestras educativas em associações e empresas, bem como mutirões de atendimento.

Serão oferecidos exames de pele, consultas com profissionais em dermatologia, testagem rápida para HIV, sífilis e hepatite, além da vacinação contra HPV e Meningocócica C.

Instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Dia Mundial de Combate à Hanseníase alerta a população para os índices da doença. No Brasil, os números vêm diminuindo ao logo dos anos, porém, o país segue como segundo no ranking mundial em quantitativo de casos. Só em 2016, o Brasil teve a taxa de incidência de 12,2/100 mil habitantes, enquanto 11,2/100 mil foi apenas no Amazonas, contabilizando 448 novos casos.

Texto: Jade Leite / Semsa

Fotos: Marinho Ramos / Semcom

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHsmdjiyWi

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): (92) 3236-8315