16/05/17 | 12:44
Semsa alerta grupo prioritário para não deixar para última hora a vacinação contra a gripe

lembvacinagripe (2)

As pessoas que fazem parte dos grupos prioritários da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, principalmente crianças menores de 5 anos, gestantes e professores, têm poucos dias para se proteger contra a gripe. O prazo final da imunização é dia 26 de maio e até agora com 60,48%, ou seja, 246.339 pessoas vacinadas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) alerta para que não deixem para a última hora.

A população-alvo tem 182 salas de vacinação à disposição na cidade para se proteger contra a gripe. A vacina protege contra os três subtipos do vírus recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2; e influenza B). “Temos também as 10 unidades de horário ampliado funcionando até às 21h para vacinar quem não tem tempo de ir a alguma UBS de dia. E, aos sábados, estas UBSs funcionam até meio-dia”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

Homero salientou que a vacina demora, pelo menos, 15 dias para fazer efeito, por isso a importância de se vacinar o quanto antes para não ter contato com o vírus. “Os professores não estão sendo vacinados nas escolas por causa da logística e sim nas nossas salas de vacina das UBSs. Portanto, os professores, tanto da rede pública quanto da particular, têm que ir a unidade de saúde mais próxima de casa ou da escola para se proteger da doença”, afirmou, acrescentando que basta apresentar documentos (crachá, contra cheque ou outro documento) que comprove a profissão.

Devem se vacinar as pessoas com mais de 60 anos ou mais de idade,  os trabalhadores de saúde, os povos indígenas (aldeados e assistidos pela SESAI), as crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Vale ressaltar que portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais devem apresentar o laudo médico, receita, carteirinhas dos programas de saúde, prescrição médica ou outro documento que comprove a sua condição clínica para receber o imunobiológico.

O público alvo é de 407.316 de pessoas, distribuídas em: 64.214 de crianças a partir de 6 meses a menores de 2 anos; 99.100 crianças de 2 a 4 anos; 52.344 trabalhadores de saúde; 32.107 gestantes; 5.278 puérperas; 550 indígenas; 111.669 idosos e 42.054 indivíduos portadores de comorbidade. A meta é atingir 90% do público alvo, o que representa 366.585 pessoas, no mínimo, vacinadas contra a influenza.

A vacina contra influenza é trivalente constituída por vírus inativados, fracionados e purificados, portanto, não contêm vírus vivos e não causa a doença. É contraindicada para pessoas com alergia grave ao ovo de galinha e para aqueles que já apresentaram reação anafilática a doses anteriores.

O agendamento da vacinação do grupo prioritário impossibilitado de locomoção é pelo telefone 0800-280-8280, e iniciou-se no dia 17 de abril indo até o dia 19 de maio. Porém, o atendimento de vacinação dos acamados acontecerá também até o dia 26 de maio, quando se encerra a campanha.

Influenza

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, e é um problema de saúde pública no Brasil. Esta patologia pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção viral (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

A cada ano esta gripe pode se apresentar de forma diferente, assim como a infecção pode afetar diferentemente as pessoas. A transmissão dos vírus influenza ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar (transmissão direta) ou através das mãos ou objetos contaminados (transmissão indireta), quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Fotos: José Nildo / Semsa

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskVCMDmE

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): (92) 3236-8315