08/06/18 | 17:00
Usuários e trabalhadores do SUS elegem conselheiros municipais de saúde

Com o processo eleitoral complementar realizado nesta sexta-feira, 8/6, novos conselheiros municipais de saúde irão tomar posse no dia 15 de junho para o mandato do período 2018-2021. A eleição foi organizada pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e o Conselho Municipal de Saúde (CMS), em nove juntas eleitorais, para vagas de conselheiros que não foram preenchidas no primeiro processo eleitoral realizado no mês de março.

Usuários e trabalhadores do SUS elegem conselheiros municipais de saúde

 

Como um órgão colegiado, de caráter permanente, deliberativo, consultivo, normativo e fiscalizador do Sistema Único de Saúde (SUS), o CMS tem uma composição formal de 32 membros titulares e seus respectivos suplentes, que representam os segmentos de usuários, trabalhadores e gestores.

De acordo com o coordenador da Comissão Especial do Processo Eleitoral, conselheiro Jorge Carneiro, o resultado inicial da eleição será publicado no Diário Oficial do Município (DOM) da próxima segunda-feira, 11, seguido de um prazo de dois dias para pedidos de impugnação, com a posse marcada para o dia 15 de junho.

A eleição disponibilizou vaga para representante suplente de trabalhadores no segmento de Associações, Confederações, Conselhos de Profissionais Regulamentados, Federações e Sindicatos, além de vagas para representantes de usuários do SUS, entre titulares e suplentes, nos segmentos de organizações de moradores da zona Oeste, de entidades de aposentados e pensionistas, de organizações de moradores da zona Norte, de entidades ambientalistas, de povos indígenas residentes no município de Manaus, de organizações religiosas, de movimentos organizados de mulheres em saúde e de associações de pessoas com deficiências.

“Infelizmente, por falta de entidades candidatas às vagas de conselheiros disponíveis no CMS, o processo eleitoral não irá finalizar com o preenchimento total do colegiado. Mas o Conselho deverá ter uma maioria qualificada de membros, representada por um quórum de dois terços dos representantes, o que é extremamente necessário para o funcionamento do CMS”, explicou Carneiro.

Para a dona de casa Ilma Souza, de 57 anos, moradora do bairro Vila da Prata, zona Oeste, que compareceu a uma das juntas eleitorais para votar no candidato à vaga de conselheiro representando o segmento de usuários da zona Oeste de Manaus, a participação no processo eleitoral é uma forma de contribuir para a melhoria dos serviços de saúde.

“Eu espero que o representante da população no Conselho de Saúde ajude na fiscalização dos serviços de saúde, melhorando o atendimento e reduzindo o tempo de espera nas consultas médicas”, afirmou Ilma.

 

Texto: Eurivânia Galúcio / Semsa

Foto: Divulgação / Semcom