Notícias

Combate às infecções sexualmente transmissíveis é intensificado no Carnaval

Durante o período de Carnaval no mês de fevereiro, a Prefeitura de Manaus está intensificando a oferta de preservativos e as ações de Educação em Saúde para prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids) e Hepatites Virais. O trabalho será realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) nas Unidades de Saúde e em eventos carnavalescos, como ensaios, desfiles das escolas de samba e apresentação de bandas e blocos.

 

 

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, explica que as ações de prevenção ocorrem durante todo o ano, inclusive com a oferta de preservativos nas UBS por meio de livre demanda, mas que, no período de Carnaval, a Prefeitura de Manaus reforça o alerta para importância das medidas que podem prevenir ou controlar as infecções sexualmente transmissíveis, como a herpes genital, sífilis, a infecção pelo HIV e pelo Papilomavírus Humano (HPV), gonorreia, hepatites B e C.

 

“Além da distribuição de preservativos para a prevenção na transmissão das IST, a rede municipal atua com ações de educação em saúde orientando a população sobre prevenção pré e pós-exposição, diagnóstico precoce, imunização para as infecções que têm a vacina disponível (HPV e hepatite B) e no combate ao preconceito”, destaca Marcelo Magaldi.

 

Segundo a chefe do Núcleo de Controle das IST/Aids e Hepatites Virais da Semsa, enfermeira Rita de Cássia Castro de Jesus, as IST podem ser causadas por vírus ou bactérias, e a transmissão ocorre principalmente pela relação sexual sem uso de preservativo, mas também pode ocorrer da mãe para o bebê durante a gestação, o parto e a amamentação, ou por contato com sangue contaminado no compartilhamento de objetos que cortam ou furam (seringas, agulhas, lâminas de barbear e alicates de unha).

 

“A estimativa é que sejam distribuídos cerca de 350 mil preservativos nas ações organizadas pelas UBS e nos eventos carnavalescos no mês de fevereiro, mas também será dada ênfase para a Prevenção Combinada, que reúne diferentes métodos de prevenção ao HIV, às IST e às hepatites virais”, informa Rita de Cássia.

 

A combinação de métodos, explica a enfermeira, engloba, além do uso de preservativos e gel lubrificante, a testagem regular para o HIV e outras IST para detecção precoce; prevenção da transmissão de ISTs da mãe para o bebê na gravidez; tratamento para pessoas que já tem IST; imunização para o HPV e as hepatites A e B; programa de redução de danos para usuários de álcool e outras drogas; profilaxia pré-exposição (PrEP); e profilaxia pós-exposição (PEP).

 

“São ações e serviços que estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) e que são gratuitos. Ainda é importante reforçar, em relação ao HIV, que a adesão ao tratamento é essencial para quebrar a cadeia de transmissão e que pessoas com carga viral indetectável em seu sangue não transmitem o vírus sexualmente. O tratamento adequado permite ainda que a pessoa vivendo com HIV tenha uma boa qualidade de vida”, afirma Rita de Cássia.

Texto – Eurivânia Galúcio/Semsa

Notícias relacionadas