Notícias

Investigação de vigilância epidemiológica da Covid-19 terá novos parâmetros

O Ministério da Saúde publicou na última quarta-feira, 5/8, uma atualização do Guia de Vigilância Epidemiológica, com a finalidade de garantir a manutenção do sistema de vigilância de influenza e de outros vírus respiratórios existente no país, com ênfase na vigilância da Covid-19, em razão do atual cenário de pandemia. O documento define ações de nivelamento de dados e de investigações executadas pelas equipes da vigilância epidemiológica da Prefeitura de Manaus, por meio Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

 

 

 

Em Manaus, a equipe de investigação epidemiológica do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs/Manaus) coordena a investigação epidemiológica de todas as doenças de notificação compulsória imediata (DNCI), dentre essas a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O Cievs/Manaus compõe a rede nacional de alerta e respostas às emergências em saúde pública, funcionando como sentinela para a identificação precoce de agravos, que possam representar ameaças epidemiológicas.

 

Do início da pandemia até esta segunda-feira, 10/8, foram notificados 110.952, sendo 37.637 confirmados por laboratório, 55.839 descartados, e 11.504 recuperados. Nesse período foram registrados 3.489 óbitos, sendo 2.068 confirmados em decorrência da doença, havendo necessidade de qualificar os demais óbitos, para haver um panorama mais real do comportamento da Covid-19 em Manaus.

 

Com os critérios de encerramento definidos pelo Ministério da Saúde a equipe de Investigação coordenada pelo Cievs Manaus tem intensificado a revisão dos prontuários dos óbitos ocorrido nos meses de maior número de casos (abril, maio e junho) com o objetivo de melhorar a qualidade de dados e entender o processo de adoecimento da população.

 

Faz parte do processo de trabalho da equipe do Cievs Manaus a visita domiciliar para coletar informações do período de adoecimento, conhecida como investigação epidemiológica de campo, para entender o processo de adoecimento e realizar as ações de controle necessárias para interromper a cadeia de transmissão.

 

“Com a definição dos critérios de encerramento definidos pelo Ministério da Saúde haverá alteração do número de óbitos dos meses anteriores o que será refletido nos óbitos acumulados, a equipe técnica tem trabalhado todos os dias da semana, incluindo os finais de semana”, explica a subsecretária de Gestão da Saúde, enfermeira Adriana Elias, alertando que esses números não vão refletir os dados atuais, cujo termômetro são os registros das últimas 24 horas.

 

O trabalho realizado em relação à Covid-19 inclui a investigação epidemiológica dos casos suspeitos e o monitoramento do encerramento do caso no sistema oficial de informação do Ministério da Saúde (Sivep_Gripe) realizado pelas Unidades Notificadoras, que são as Unidades de Saúde, Serviços de Pronto Atendimento (SPA), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais que realizaram o atendimento de saúde e registraram o caso como suspeito.

 

“Com o andamento da investigação epidemiológica, os casos e óbitos que estão em investigação vão sendo confirmados ou descartados, dando muitas vezes, a falsa impressão de aumento de casos no momento atual, na verdade é o resultado da investigação que influencia esse número, que aumenta de acordo com maior acesso a exames laboratoriais e de imagem”, exemplifica a gerente do Cievs/Manaus, Eliane Campos.

 

Nos casos de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a equipe precisa realizar a investigação domiciliar para esclarecer melhor a causa do óbito, dando um retorno à família e qualificando o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM). Esse sistema norteia as políticas públicas de saúde e embasa o gestor para a tomada de decisões em nível municipal, estadual e nacional.

 

Texto – Sandra Monteiro/Semsa

Notícias relacionadas