Notícias

Prefeitura participa da ‘Hora do Mamaço’ que sensibiliza população sobre amamentação

O Parque Cidade da Criança, no bairro Aleixo, zona Centro-Sul, foi o cenário deste domingo, 7/8, para reafirmar a importância do aleitamento materno para o desenvolvimento pleno das crianças, com a realização da  “Hora do  Mamaço”, que tem o apoio da Prefeitura de Manaus. O evento é um movimento da sociedade civil em favor da amamentação e faz parte da campanha “Agosto Dourado”, que vem sendo realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) em unidades de saúde, comunidades e outros espaços públicos para promover, proteger e apoiar o ato de amamentar.

 

 

 

 

No Parque Cidade da Criança, espaço da Prefeitura de Manaus que reúne o público preferencial da campanha, o evento, que teve como base o incentivo à amamentação, inclusive em locais públicos, reuniu mulheres gestantes,  pais, mães e filhos para apoiar o ato de alimentar as crianças livre de preconceitos.

 

Para a subsecretária Aldeniza Araujo, a retomada do evento ao modo presencial, que nos dois últimos anos foi realizado de forma remota devido à pandemia de Covid-19, possibilitou o reforço da mensagem,  permitindo uma interação maior com a população.

 

“O evento presencial intensificou  a mensagem do Agosto Dourado, porque permitiu que as pessoas que frequentam este espaço constatassem que o leite materno, além de ser um alimento completo, rico em nutrientes, protege a criança. As pessoas viram também  que  a amamentação é um momento de troca de  carinho e  geração de confiança, uma base essencial para uma vida saudável”, destacou.

 

Para a chefe do Núcleo de Saúde da Criança, Keila Abreu, a “Hora do Mamaço” teve um papel fundamental na campanha “Agosto Dourado”, que este ano apresenta o tema ”Fortalecer a Amamentação, educando e Apoiando”, porque mostrou  que as mulheres que estão cumprindo esta importante tarefa em benefício dos filhos, precisam de apoio.

 

“Estamos muito felizes pela participação de todos e vamos prosseguir ao longo deste mês intensificando esse trabalho de sensibilização para a sociedade. É importante o envolvimento de todos para incentivar e apoiar as nutrizes”, afirmou.

 

O “Agosto Dourado” é uma campanha mundial criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e que tem a parceria do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), para reforçar que, ao amamentar seus filhos, as mulheres promovem uma forte barreira contra a insegurança alimentar e garantem uma base fundamental para uma vida saudável.

 

A OMS orienta que o leite materno deve ser o alimento exclusivo da criança nos primeiros seis meses de vida e  recomenda que seja mantido até os dois anos de idade.

 

O leite materno reduz a vulnerabilidade a infecções, alergias, colesterol alto, diabetes e obesidade.  O risco de morte para as crianças abaixo dos cinco anos é diminuído em 13%, quando recebem o alimento.

 

Ivone Amazonas, que é técnica do Núcleo de Saúde da Criança da Semsa e representante da Associação Brasileira de Enfermeiros Obstetras e Obstetrizes do Amazonas (Abenfo-AM), assinalou que o evento deste domingo serviu para fortalecer o apoio às mães, que muitas vezes ficam envergonhadas ao amamentar em público e evitam alimentar os filhos por medo dos julgamentos.

 

“Esta ação serve para mostrar para a população que a mãe pode amamentar em público sem medo de ser discriminada. Essa mãe deve ser apoiada. Por isso, esse  movimento é importante, para mostrar que todos nós precisamos respeitar e incentivar todas as mães que precisam alimentar seus filhos”, acentuou.

 

Para a bióloga  Amanda Nogueira, que compareceu ao Parque da Criança com sua filha de colo, o “Agosto Dourado”, que tem esse nome, porque o leite humano tem o padrão ouro para a alimentação  dos bebês, é importante para propagar mais as informações sobre o tema.

 

“Só quando tive minha filha este ano percebi que ao amamentá-la estou dando uma demonstração de amor, protegendo-a de uma série de doenças. É importante que todas as mulheres, que querem ter filhos, saibam disso”, assinalou.

 

 

Texto – Tânia Brandão / Semsa

 Fotos – Henrique Souza / Semsa

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHBqjA26MH

Notícias relacionadas