Notícias

Prefeitura reforça importância do programa HiperDia para prevenção e controle da diabetes

No Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro, a Prefeitura de Manaus intensifica a divulgação dos serviços oferecidos pelo programa HiperDia, da rede municipal de saúde, direcionado aos usuários com hipertensão e diabetes. Esta data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para sinalizar a importância da prevenção e também mostrar alternativas, para que as pessoas acometidas pela doença possam ter uma boa qualidade de vida.

 

 

 

 

Segundo estimativa do Departamento de Informação, Controle, Avaliação e Regulação (Dicar), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), há 101.586 pessoas acometidas pelo diabetes que recebem acompanhamento na rede municipal de saúde.

 

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, explica que o diabetes é uma doença crônica, que quando não controlada, pode provocar uma série de limitações nas pessoas, por isso é importante aproveitar este dia para reforçar os cuidados.

 

“O programa HiperDia é fundamental para que as pessoas com hipertensão e diabetes possam, a partir das consultas, orientações, informações e acesso a medicamentos, ter uma vida sem o agravamento dessas patologias, que podem resultar em danos irreversíveis, quando não controladas”, enfatiza.

 

Para reforçar a importância da prevenção e do controle ao diabetes, a Semsa realiza uma programação de intensificação dos serviços no período de 16 a 19 de novembro, com palestras, atividades educativas sobre alimentação, rodas de conversa, avaliação do pé diabético, busca ativa dos faltosos diabéticos e outros cuidados são rotineiros nas unidades da Semsa.

 

A doença

A coordenadora do Programa HiperDia, Sinara Mady, relata que os principais sintomas do diabetes são sede excessiva, vontade de urinar várias vezes por dia, fraqueza, fome frequente, indisposição, perda de peso, mudanças de humor, dentre outros.

 

“É importante observar esses sintomas e confirmar o diagnóstico. Por isso é necessário que o usuário procure uma unidade de saúde para receber as informações e encaminhamentos necessários. A rede municipal de saúde oferece o acompanhamento com o médico e o enfermeiro semestralmente, como preconiza o Ministério da Saúde. Porém, é preciso ressaltar que trabalhamos no município a estratificação de risco, ou seja, de acordo com resultado do exame, esse número de consultas pode aumentar para quatro vezes ao ano ou acontecer de dois em dois meses, com objetivo de evitar as complicações”, orienta Sinara.

 

Além do acompanhamento e monitoramento dos usuários hipertensos e diabéticos, todas as unidades de saúde disponibilizam medicamentos, realizam solicitações de exames laboratoriais, eletrocardiograma, raios X de tórax e encaminhamentos para especialistas.

 

Por meio do Programa de Automonitoramento da Glicemia Capilar (AMGC), a Prefeitura de Manaus também entrega insumos aos usuários insulinodependentes, tais como: insulina NPH humana e regular humana, seringas para aplicação de insulinas, glicosímetro, tiras para aferição de glicemia capilar, lancetas e coletor de material perfurocortante.

 

O acesso a esses materiais e medicamentos pode ser feito por meio de cadastro nas unidades de referência da Semsa localizadas em todos os Distritos de Saúde da capital.

 

Linguagem simples

A médica Nilsa Mariano, que trabalha na UBS Senador Severiano Nunes, no bairro Jorge Teixeira, na zona Leste, conta que usa uma linguagem simples para esclarecer e informar seus pacientes que apresentam diabetes.

 

“Sempre faço uma abordagem de modo a saber o que levou o paciente a desenvolver a doença. Pergunto se na família há antecedentes com diabetes, observo o peso, verifico sintomas e sempre pergunto como está a alimentação. O diabetes é uma doença silenciosa, crônica e que pode acontecer com qualquer pessoa, por isso é sempre bom observar alguns cuidados para evitá-la”, salienta.

 

A profissional de saúde demonstra preocupação com os alimentos ricos em açúcar como bolos, pudins, biscoitos, refrigerantes e outras formas de doce, que se por um lado têm um sabor atrativo, por outro, o consumo exagerado representa um sério risco à saúde.

 

“Tem também os carboidratos, que se transformam em açúcar, que são amplamente consumidos. Precisamos explicar os riscos com uma linguagem simples e alertar sobre a necessidade de equilíbrio na alimentação”, informa.

 

Lição

O aposentado Raul Mendes dos Santos, de 72 anos, está há cinco meses fazendo tratamento na UBS Severiano Nunes, localizada no bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus. “Eu percebi que estava com uma ferida no meu pé e passei copaíba, mas isso piorou muito. Mas depois que comecei a me tratar aqui, as coisas ficaram melhores. Já estou bem melhor, graças a Deus. Mas aprendi que fazer ‘arte’ é perigoso para quem é diabético e não faço mais isso”, assegura.

 

Apoio

A diretora da Unidade de Saúde Senador Severiano Nunes, Fabiane Onofre, explica que 150 usuários com diabetes são atendidos pelo programa HiperDia na UBS, que conta com três equipes de Estratégia Saúde da Família.

 

A unidade é um ponto de apoio importante tanto para os usuários que têm consulta agendada, quanto para aqueles de demanda espontânea. “É importante orientar que nos dois casos é muito importante que os documentos pessoais e o cartão do SUS sejam apresentados, para fazer o cadastro, ou atualizar os dados, caso o usuário já esteja sendo atendido na unidade”, acentua.

 

Depois de passar pela triagem, o paciente é encaminhado para a consulta médica, na qual são solicitados os exames laboratoriais e de imagem. Se o resultado for positivo para o diabetes, o tratamento e acompanhamento são iniciados imediatamente.

 

 

Texto – Tânia Brandão / Semsa

Foto – Camila Batista / Semsa

Notícias relacionadas