Notícias

Profissionais de saúde da Prefeitura recebem menção honrosa por trabalho apresentado em evento nacional da área de tuberculose

 

 

Profissionais de saúde da Prefeitura de Manaus receberam menção honrosa por um trabalho apresentado no “10° Workshop Nacional da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose – Rede TB”, que acontece até esta quarta-feira, 13/9, em Salvador (BA), durante o 58º Congresso Brasileiro de Medicina Tropical (Medtrop). O trabalho dos servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), com foco nos pacientes com tuberculose acompanhados pelo Telessaúde da secretaria, ficou em 3º lugar na categoria Trabalhos Orais na área de tuberculose do evento.

 

Intitulado “Perfil clínico-epidemiológico e desfecho de monitoramento de pessoas em tratamento de tuberculose na plataforma Telessaúde”, o estudo envolveu profissionais de três diretorias da Semsa Manaus, as de atenção primária, de tecnologia da informação e de vigilância epidemiológica, ambiental, zoonoses e saúde do trabalhador.

 

O estudo científico teve o apoio da Semsa Manaus, em parceria com a Fundação de Vigilância em Saúde – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) e o programa de pós-graduação em medicina tropical da Universidade do Estado do Amazonas e Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (PPGMT/UEA/FMT-HVD).

 

A técnica do Núcleo de Controle de Tuberculose da Semsa, Dinah Cordeiro, que conduziu o estudo ao lado dos colegas da pasta e das instituições parceiras, se disse feliz pelo reconhecimento do trabalho e destacou a participação da Semsa no workshop nacional da Rede-TB, maior evento científico na área da tuberculose no país. Além de Dinah, participaram do evento a médica infectopediatra do Núcleo de Controle de Tuberculose, Tyane Jardim, também coautora da pesquisa premiada e que apresentou o trabalho no evento.

 

“Para nós é muito importante, pois temos a oportunidade de nos atualizar quanto a técnicas inovadoras, tratamentos e diagnósticos na tuberculose ativa, latente e pediátrica. Quando retornamos, buscamos também atualizar a rede em relação às recomendações no cenário nacional e internacional”, afirma a técnica da Semsa.

 

Dinah recebeu o certificado das mãos do presidente da Rede-TB, Ricardo Arcêncio. A solenidade de entrega teve a presença da secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde, Ethel Maciel.

 

Dados e resultados

Conforme Dinah Cordeiro, o perfil clínico-epidemiológico dos usuários do Telessaúde da Semsa Manaus abrangeu dados de 3.063 pacientes com tuberculose acompanhados pelo serviço desde o início do atendimento voltado a esses usuários, em 2020, até dezembro do ano passado.

 

Conforme a pesquisadora, entre outros resultados, o estudo indicou que 10% dos usuários com tuberculose pulmonar atendidos pelo Telessaúde interromperam o tratamento, enquanto o indicador geral da doença em Manaus aponta a taxa de 20% de abandono entre pacientes na capital.

 

“Esses resultados podem indicar um possível efeito positivo para reduzir os percentuais de interrupção de tratamento pelos usuários telemonitorados. A etapa de análise de avaliação desse efeito já está em andamento pela equipe do projeto”, afirma a pesquisadora.

 

Dinah enfatiza ainda o papel relevante do Telessaúde da Semsa Manaus, que promove um acompanhamento complementar de saúde de usuários atendidos nas unidades básicas da rede municipal, por meio de ligações telefônicas feitas por equipes compostas de médicos e enfermeiros. “Ele fortalece a integração entre a vigilância e a assistência em saúde, identificando barreiras de acesso, repassando orientações aos usuários e reforçando a adesão ao tratamento”.

 

Trocas e projetos

 

Além do estudo premiado, foram apresentados outros dois trabalhos científicos elaborados por Dinah e outros profissionais da Semsa: “Educação por pares como estratégia inovadora de compartilhamento de conhecimento sobre tuberculose no ambiente escolar (Expo-TB): um estudo piloto”, em parceria com FVS-RCP, PPGMT/UEA/FMT-HVD e Comitê de Controle da Tuberculose do Amazonas; e “Diferenças no perfil do abandono do tratamento de tuberculose nos estados mais incidentes do Brasil no período de 2011-2019”, produzido em conjunto com pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

 

Outro estudo, selecionado para apresentação na modalidade e-pôster, tem entre os autores o chefe do Núcleo de Controle de Tuberculose, Daniel Sacramento. O trabalho é intitulado “Uso do tratamento de curta duração (3HP) para Tuberculose Latente e o acompanhamento do tratamento pelo Sistema de Telemonitoramento por Vídeo do Tratamento da Tuberculose”.

 

Ainda no workshop, as equipes da Semsa participaram de uma sessão que discutiu os resultados parciais do ExpandTPT, projeto coordenado pela pesquisadora, doutora Anete Trajman (UFRJ/Rede-TB), com apoio do Ministério da Saúde (MS). Visando expandir a Terapia Preventiva da Tuberculose, a iniciativa é conduzida em Manaus e em outras quatro capitais-piloto, Recife, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Encontro

O Workshop Nacional da Rede-TB 2023 é realizado em parceria com o 58º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (Medtrop) e reúne especialistas, profissionais de saúde, pesquisadores e membros da sociedade civil comprometidos com a luta contra a tuberculose. Nesta edição, o evento traz o tema “Inovação para eliminar a tuberculose: conhecimento em rede”.

 

O encontro nacional tem como objetivo ampliar as discussões entre pesquisadores, estudantes e profissionais envolvidos com atividades relacionadas à tuberculose e HIV/Aids, proporcionando atualização e compartilhamento de saberes, inclusive quanto a inovações e tecnologias para combate à doença.

 

No evento, são discutidos tópicos relevantes relativos à tuberculose, como estratégias de prevenção e controle da tuberculose, métodos de diagnóstico inovadores, desenvolvimento de novos tratamentos, abordagens de saúde pública e políticas de saúde.

 

Texto – Jony Clay Borges / Semsa

Fotos – Divulgação / Semsa

Notícias relacionadas