Notícias

UBS Santo Antônio inicia oferta de manejo clínico de pessoas vivendo com HIV

A Prefeitura de Manaus, por meio do Distrito de Saúde (Disa) Oeste, informa que Unidade Básica de Saúde (UBS) Santo Antônio, localizada na rua Lauro Bittencourt, s/n, no bairro Santo Antônio, zona Oeste da cidade, iniciou a oferta do serviço de atendimento clínico às pessoas vivendo com HIV.

 

 

 

 

O novo serviço na UBS vai somar ao atendimento já realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na UBS Leonor Brilhante, zona Leste, com o acompanhamento de 86 pessoas vivendo com HIV; e na UBS Arthur Virgílio, zona Norte, que atende 104 pessoas.

 

Segundo a gerente de Vigilância em Saúde do Disa Oeste, enfermeira Rúbia Medeiros, a equipe de profissionais da UBS Santo Antônio, que envolve médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos e assistente social, recebeu treinamento específico para iniciar a oferta do atendimento.

 

“Toda a equipe de servidores está preparada para oferecer o serviço, desde o primeiro acolhimento até a consulta médica, de enfermagem e farmacêutica. É um serviço que vai ampliar a descentralização do atendimento às pessoas vivendo com HIV, que é um dos objetivos da Semsa para facilitar o acesso ao serviço e garantir maior resolutividade no acompanhamento dos pacientes”, explica Rúbia.

 

Atendimento

Como ocorre nas UBSs Arthur Virgílio e Leonor Brilhante, o serviço na UBS Santo Antônio será direcionado para pacientes que recebem o diagnóstico na própria unidade de saúde ou pelas equipes de Saúde da Família que fazem o atendimento no mesmo território, mas que são assintomáticos, ou seja, foram diagnosticados com o vírus HIV, mas não apresentam sintomas da infecção.

 

“A UBS já oferece o teste rápido para HIV, que tem resultado em 30 minutos. Anteriormente, o paciente com diagnóstico positivo era encaminhado para atendimento em serviço de saúde de referência. Agora, passa a ser atendido na própria UBS Santo Antônio, caso não apresente outras complicações de saúde”, informa Rúbia.

 

Na rede municipal, o manejo clínico de pessoas vivendo com HIV nas UBSs é direcionado para pacientes que apresentam uma situação de saúde estável, com carga viral controlada e sem sintomas. O atendimento de mulheres gestantes com HIV e de pacientes com comorbidades associada à infecção, como hepatite B, tuberculose ou outra doença, continuará a ser feito nos quatro Serviços de Atenção Especializada (SAEs) da rede municipal, ou, em casos mais específicos, na Fundação de Medicina Tropical.

 

Casos

No período de janeiro a outubro de 2022, o município de Manaus registrou 1.385 casos novos de HIV e 341 casos de AIDS na população adulta residente. Desse total, 986 casos (76%) foram notificados em pessoas na faixa etária de 15 a 29 anos, conforme dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação.

 

“A Semsa realiza durante o ano ações para intensificar a testagem rápida para HIV nas unidades de saúde, com foco na população jovem, que representa a faixa etária de maior incidência da infecção sexualmente transmissível”, destaca a gerente de Vigilância Epidemiológica da Semsa, Cláudia Rolim.

 

Para prevenção da transmissão do HIV/Aids, são realizadas ações como a distribuição de preservativos de forma gratuita nas unidades de saúde e também é oferecida a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), que consiste no uso diário de uma medicação antirretroviral que tem a função de impedir que a pessoa, com critérios de eleição para o uso, seja infectada pelo HIV.

 

A oferta da PrEP é realizada na Clínica de Saúde da Família Raimundo Franco de Sá, zona Oeste; na Clínica da Família Carmen Nicolau, zona Norte; Clínica da Família Desembargador Fábio do Couto Valle, zona Leste; e UBS Dr. Luiz Montenegro, zona Sul.

 

 

Texto – Eurivânia Galúcio / Semsa

Fotos – Divulgação / Semsa

Notícias relacionadas