Notícias

Usuários do SUS passam a contar com atendimento nutricional por teleconsulta

Até o dia 31 de agosto os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) poderão ter atendimento nutricional por meio não presencial. O serviço de teleconsulta com nutricionista será disponibilizado pela Prefeitura de Manaus, para assegurar o acesso dos usuários do sistema ao cuidado integral oferecido na Atenção Primária à Saúde de Manaus, durante a emergência de saúde pública decorrente da pandemia de Covid-19.

 

 

“É mais uma medida que a equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde coloca à disposição dos usuários, conforme orientação do prefeito Arthur Virgílio Neto. Nesse caso, usuários que necessitam de atendimento nutricional, mesmo durante o isolamento social orientado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), como medida preventiva ao novo coronavírus”, explica o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

 

A iniciativa considera, ainda, o reconhecimento, por parte do Ministério da Saúde, da utilização da telemedicina, e a resolução do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), que determina a possibilidade, em caráter excepcional, do atendimento nutricional por teleconsulta.

 

As ferramentas on-line permitem aos nutricionistas a realização de teleconsultas, dando continuidade ao cuidado de pacientes com hipertensão, diabetes, obesidade, dentre outras condições, que requerem atenção à ingestão dos alimentos no dia a dia.

 

Na modalidade de consulta realizada a distância, o nutricionista pode, com auxílio da tecnologia (internet, aplicativos e plataforma on-line), oferecer atendimento   na   Atenção Básica. Com isso, a Semsa evita o deslocamento dos pacientes com mobilidade reduzida, debilitados, com dificuldades financeiras para custear as despesas com transporte e da maioria dos usuários que se encontram atualmente em isolamento social como medida preventiva ao colapso do sistema de saúde. O serviço também vai contribuir para a redução da morbimortalidade   por causas relacionadas às situações crônicas que requerem cuidado nutricional.

 

Procedimentos

Os usuários poderão ter acesso ao serviço de teleconsulta com nutricionista por meio de encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS) ou encaminhamento do Serviço de Telemonitoramento, via chat Saúde On-line, no portal https://covid19.manaus.am.gov.br/.

 

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) ficam responsáveis pelo acolhimento e identificação dos usuários com condições crônicas ou   agudas, que necessitam de orientação e assistência nutricional. Os usuários que aceitarem o atendimento com nutricionista nessa modalidade serão encaminhados pelo profissional de saúde (médico, enfermeiro) ao serviço.

 

As   demandas para atendimento nutricional identificadas serão   registradas pelos profissionais que realizam o atendimento no chat Saúde On-line, na própria plataforma do telemonitoramento. A partir dessa ferramenta, serão extraídos os dados para contato e demais informações necessárias ao atendimento pelo nutricionista.

 

Após o recebimento dos formulários e relatórios, um técnico do Serviço de Teleconsulta realizará o primeiro contato telefônico com o usuário, para orientar sobre o formato da teleconsulta e agendar o atendimento.

 

O acesso ao serviço de teleconsulta com nutricionista irá priorizar o atendimento a usuários com comorbidades como hipertensão, diabetes, cardiopatia, pneumopatia, desnutrição, câncer, insuficiência renal ou hepática, e/ou obesidade; idosos com idade igual ou maior que 60 anos; usuários   com   necessidades   nutricionais   especiais (uso   de   nutrição   enteral, alergias/intolerâncias alimentares); gestantes e nutrizes; crianças menores de 5 anos de idade.

 

As teleconsultas serão realizadas de segunda a sexta-feira, no período de 8h às 11h e das 14h às 17h, obedecendo a escala dos profissionais. Os atendimentos realizados serão inseridos no Sistema e-SUS, por    meio    do    Prontuário    Eletrônico    do    Cidadão (PEC), permitindo o acompanhamento   dos   casos   com   priorização   aos   pacientes   com   maior   risco   de complicações clínicas.

 

Texto – Sandra Monteiro/Semsa

Notícias relacionadas