Ações

Vigilância de água, solo e ar

Área Responsável

Setor de Vigilância de Água, Solo e Ar

Contato: 3216-7731

Canal de denúncias: 08000920123/ 3216 7731

Objetivos

Dirigir, controlar, coordenar e supervisionar as ações de vigilância das determinantes e condicionantes ambientais da água, solo e ar, que representem risco a saúde humana.

Ações

VIGIÁGUA

O VIGIÁGUA consiste no conjunto de ações adotadas continuamente pela autoridade de saúde pública para garantir que a água consumida pela população atenda ao padrão e normas estabelecidas na legislação vigente e para avaliar os riscos inerentes à presença de substancias e organismos potencialmente nocivos à saúde humana. Dentro do Programa VIGIÁGUA foi implantado e implementado, a partir do ano de 2015, o plano VIGIFLÚOR, que passou a ser plano da diretriz nacional em 2014.

Serviços

Atendimento a denúncias de poços irregulares, atendimento à demanda por análise de água, atendimento ao plano de monitoramento da qualidade da água na cidade de Manaus, atendimento ao plano do Programa VIGIFLÚOR, atendimento a processo de cadastro e autorização sanitária ao fornecimento de água para consumo humano por fonte alternativa de abastecimento de água, cadastro, inspeção e fiscalização de sistema de abastecimento de água, Plano de Monitoramento da Qualidade da Água em situação de cheia do Rio Negro.

Acesse aqui o folder do VIGIÁGUA

VIGIPEQ

A Vigilância em saúde de populações expostas a contaminantes químicos  (VIGIPEQ) tem como objetivo o desenvolvimento de ações de vigilância em saúde de forma a adotar medidas de promoção, prevenção contra doenças e agravos e atenção integral à saúde das populações expostas a contaminantes químicos. Esta área trabalha com os contaminantes químicos que interferem na saúde humana e nas inter-relações entre o homem e o ambiente, buscando articular ações de saúde integradas – prevenção, promoção, vigilância e assistência à saúde de populações expostas a contaminantes químicos. Nessa mesma linha, atua também um dos componentes do VIGIPEQ, que é a Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Áreas Contaminadas (VIGISOLO).

AGROTÓXICO

A Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos compreende um conjunto de ações integradas de prevenção, proteção e promoção da saúde, envolvendo todos os atores do Sistema Único de Saúde (SUS): gestores e prestadores de serviços, profissionais de saúde e usuários.

Inicialmente foram elaborados diagnósticos situacionais, visando analisar a situação de saúde e traçar o perfil da produção agrícola, consumo de agrotóxicos e identificação de populações expostas a essa classe de contaminantes, para nortear o trabalho foram elencados municípios prioritários para a execução das ações.

A SEMSA participa do grupo de trabalho de Vigilância à Saúde de populações expostas ao uso de agrotóxicos, onde são discutidas ações, propostas de capacitações de profissionais do setor saúde para maior sensibilidade no diagnóstico e aumento e qualificação das notificações de intoxicações exógenas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN.

VIGIAR

O objetivo da Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica (VIGIAR) é desenvolver ações de vigilância para populações expostas a poluentes atmosféricos, de forma a recomendar e instituir medidas de prevenção, de promoção da saúde e de atenção integral, conforme preconizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Seu campo de atuação prioriza as regiões onde existam diferentes atividades de natureza econômica ou social que gerem poluição atmosférica de modo a caracterizar um fator de risco para as populações expostas.

VIGIDESASTRES

A Vigilância em Saúde Ambiental dos riscos associados aos desastres tem por objetivo desenvolver um conjunto de ações a serem adotadas continuamente pelas autoridades de saúde pública para reduzir o risco da exposição da população e dos profissionais de saúde aos desastres, reduzir doenças e agravos decorrentes deles bem como os danos à infraestrutura de saúde. No Sistema Único de Saúde, a Vigilância em Saúde Ambiental dos riscos associados aos desastres, estabelece estratégias para a atuação em emergência em saúde pública por desastres de origem natural e tecnológica. Nesse contexto, dentre seus objetos de atuação estão os desastres naturais (inundações, seca e estiagem, deslizamentos, dentre outros), os acidentes com produtos químicos, a emergência radiológica e a nuclear. Sua organização propõe uma atuação baseada na gestão do risco, contemplando ações de redução do risco, manejo dos desastres e recuperação dos seus efeitos. Além disso, atua na articulação das agendas de mudanças climáticas e seus efeitos à saúde humana.

Acesse aqui  folder sobre ENCHENTES